Merecedora de prémio em qualquer praça do mundo

João Ribeiro Telles deu ontem a cara e o corpo ao manifesto, como sempre, na lide do primeiro toiro da tarde, com 615 quilos, o maior da corrida, algo reservado e distraído. Lide de muita entrega, a pôr a carne no assador, conseguindo ferros de grande emoção.
Mas a grande actuação de Telles foi no quarto da ordem, um toiro sério e exigente, que impôs respeito e seriedade e ao qual o toureiro respondeu com uma lide de grande mérito e muita arte, pisando a linha de fogo, arriscando, cravando com arrepiante emoção e lidando com o maior dos aprumos.
Uma actuação centrada e redonda, com a qual o público só vibrou quando já na recta final João cravou um fantástico "violino". Talvez fosse do calor, talvez fosse de outra coisa qualquer, mas a verdade é que os aficionados montijenses não deram o devido valor, que se impunha, à lide deslumbrante de Telles, que foi, para mim, a melhor e mais conseguida de toda a corrida. Foi, a meu ver, também, a melhor lide de João Telles este ano em Portugal. Merecedora de prémio em qualquer praça do mundo. Inteiramente merecedora do troféu que ontem estava em disputa. Esta sim!