abriu com os curtos em altíssimo nível num dos ferros da tarde Scalabitana

João Ribeiro Telles

2º Toiro: “Pintoto” Peso: 595 kg

O João teve pela frente um seríssimo Teixeira (como os restantes), irrepreensível de apresentação, veloz e inicialmente móvel. Cravou-lhe a ferragem comprida de forma regular, destacando o 2º pela velocidade com que se arrancou para o cavalo.

Nos curtos andou impecável e cheio de “toureria” como é seu timbre, destacando-se o 2º, 3º e o 5º (para mim o mais conseguido) com pena por ter saltado no momento da cravagem, tendo o ginete da Torrinha que repetir a sua cravagem mas já sem o impacto do anterior.

5º Toiro: “Escapadito” Peso: 545 kg

“No hay quinto malo” e esta foi exactamente a toada que o “Escapadito” de Teixeira levou desde o princípio ao fim. Foi efectivamente um belíssimo toiro, melhor que os restantes, mais cooperante, mais alegre, mais repetitivo e mais pronto. E o João teve arte e engenho para o aproveitar.

Se nos compridos passeou classe e andou regular, abriu com os curtos em altíssimo nível num dos ferros da tarde Scalabitana. Nota 20 para este (1º curto) e para o 3º, ficando o 2º e o 4º a pouca distância.

Pegou este toiro e à 1ª tentativa, o forcado de Santarém Lourenço Ribeiro, denotando muita técnica, muito conhecimento e a maior calma, quando o toiro na sua investida teimava em descair. Grande pega.

Volta para o cavaleiro e para o forcado.

NOTA 1: Na minha modesta opinião, era aqui, neste toiro, que se deveria ter chamado o ganadeiro à Praça. Arriscar e levar este prémio ao último toiro, sabendo como estava a noite, corria-se o risco de ter pouco publico para poder retribuir os aplausos.